Home Cinema Crítica | LEGO Star Wars: A Saga Skywalker é a “forma final” da franquia

Crítica | LEGO Star Wars: A Saga Skywalker é a “forma final” da franquia

by

Os jogos da série LEGO, sobretudo os de Star Wars, tiveram um longo caminho de evolução pela frente. Começando em 2005, com LEGO Star Wars: The Video Game, a franquia explodiu em popularidade, adaptando outros filmes, ficando melhor a cada novo jogo e revisitando, de forma maior e melhor, tudo o que havia sido feito antes. O ápice disso, a “forma final” de todos os jogos feitos baseados nas famosas pecinhas de montar, é LEGO Star Wars: A Saga Skywalker, e dá pra dizer com tranquilidade: é o melhor de todos até agora. Talvez até para sempre.

Uma galáxia de possibilidades

LEGO Star Wars: A Saga Skywalker pega todas as características que funcionaram nos jogos anteriores da série, sem esquecer de nenhuma, e ainda consegue criar novos elementos de mundo e jogabilidade que deixam a experiência do jogador dentro do universo da franquia ainda mais imersiva. Se antes você via os games da série LEGO como bobos – e eu já fui um deles -, agora vai passar a levá-los bem mais a sério.

A grande maioria dos cenários do game, exceto por cenas-chave da história dos filmes, são vastos mundos abertos, cheios de passagens secretas, personagens diversos e missões secundárias, que podem recompensá-lo com peças especiais, usadas para destravar novas habilidades para seus bonequinhos. É tanta coisa para se explorar que os programadores deixaram veículos espalhados pelas  zonas para facilitar um pouquinho a vida de qualquer jogador que por um acaso possa se sentir cansado ou entediado de ficar andando longos caminhos de uma área do mapa até outra.

Seja quem quiser, construa o que quiser. O poder da Força está em suas mãos.

E já que eu mencionei habilidades, há um menu de melhorias cheio de talentos destraváveis para ser completado, e fazer isso vai tornar sua experiência mais legal, mas também mais fácil. Uma delas faz com que seu personagem corra mais rápido, por exemplo, dando uma colher de chá na hora de andar a pé por áreas longas demais. E elas não são poucas, para a alegria dos jogadores mais fãs da boa e velha exploração.

Quase tudo é possível neste game. Quer saber mais sobre o povo da areia e sair na porrada com eles? Você pode. E explorar a cidade das nuvens em busca das peças de C3PO? Também dá. Recuperar um item roubado de um pobre comerciante local? O herói da história é você! Seus dias em LEGO Star Wars: The Skywalker Saga serão muito movimentados. Você verá…

“Impressionante… muito impressionante.”

A primeira coisa que você vai notar ao pousar seus olhos sobre o game é o quanto ele é bem acabado. Como um fã da saga espacial, eu não conseguia evitar de dar um largo sorriso enquanto assistia às cutscenes ou participava de batalhas, porque era como estar assistindo ao filme Uma Aventura LEGO… só que de Star Wars.  Sim, ele é impressionante assim.

Ver uma versão mais engraçadinha dos filmes já é ótimo, mas é na hora da ação que podemos ver o tamanho do esmero dos desenvolvedores da Traveller’s Tales na hora de polir o jogo. Ao sacarmos uma arma, a câmera vai para a altura do ombro de seu personagem, deixando a coisa mais parecida com jogos de ação e aventura mais atuais, como Uncharted. Onde você atira também faz toda a diferença: se você atinge a cabeça de um Stormtrooper, o capacete sai voando, ou gira sem sair do lugar. Se atira no pé, o pobre soldado o segura com as duas mãos e sai pulando como num desenho animado, ou simplesmente escorrega. Chegou perto demais? O inimigo já larga a arma e entra em guarda para te encher de porrada. São várias reações diferentes para cada ação do jogador, algo que ninguém esperaria de um jogo dito “infantil”.

Anakin Skywalker e Mace Windu na arena de Geonosis: este é só um de muitos cenários a serem explorados

O que também impressiona são os golpes melee dos personagens, isso é, as lutas corpo a corpo. São nada menos que três botões só para atacar, que podem ser apertados em diferentes ordens e maneiras para criar combos dignos de algo visto em Devil May Cry. O mestre jedi Qui-Gon Jinn, por exemplo, faz combos de sabre de luz que deixariam o caçador de demônios Dante vermelho de inveja, tamanha sua  velocidade, precisão e estrago feito nos inimigos. Não se trata de esmagar botões a esmo, e sim criar cuidadosamente suas sequências para acabar com a luta mais rápido… mas se quiser só apertar tudo de forma aleatória, vai fundo, prometo que não vou te julgar.

Viva a saga como nunca antes

Todos os nove filmes da saga principal, de Uma Nova Esperança até A Ascensão Skywalker, estão disponíveis para jogar, explorar, interagir, quebrar e reconstruir, mas não para por aí. Também há pequenos acenos a produções como The Mandalorian, Star Wars: Rebels, Rogue One: Uma História Star Wars e outros filmes e séries da franquia que estão fora da história da família Skywalker, seja com referências discretas ou com bonequinhos para serem desbloqueados.

A versão brasileira do game é um show a parte e deve ser aplaudida de pé. O jogo está inteiramente localizado para o nosso idioma, com legendas e dublagens em português brasileiro. O elenco de vozes, aliás, é exatamente o mesmo dos filmes, tirando uma ou outra voz que infelizmente não está aqui. De qualquer forma, jogar o jogo na nossa língua é uma experiência ainda mais gostosa, aumentando o apelo e alcance do jogo também para os jogadores mais novinhos, que não o real público alvo do título.

Din Djarin e Grogu, de The Mandalorian, também estão aqui

A cereja do bolo, pelo menos no meu caso, vai pro quesito “curiosidade”, de querer saber como o jogo vai adaptar os momentos mais emocionantes dos filmes, sempre de uma forma engraçada, mas não demais, deixando todas as cenas que amamos ver nos cinemas ainda mais divertidas ao invés de só bobas, o que seria bem fácil de acontecer sem o direcionamento criativo certo. batalhas espaciais emocionantes, como o ataque à Estrela da Morte do final do filme, que aqui está mais legal do que nunca. Ver Star Wars sendo contado dessa forma, mais infantil e engraçada, já é uma recompensa por si só, mas viver tudo isso dessa maneira é uma experiência que qualquer fã que se preze deveria ter.

Se você jogou os títulos mais antigos da franquia, vai se surpreender com todas as mudanças deste novo game, dos gráficos à jogabilidade. Há muito para descobrir, destravar e comparar com o que já se conhecia, principalmente se faz tempo que você está distante desses games. E se você nunca jogou nenhum, vai ser um ótimo começo, pegando LEGO em seu ápice e de uma forma da qual simplesmente não existe melhor. Aceite seu destino e abrace o poder da Força!

Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker duelam em uma Mustafar totalmente quebrável e remontável

LEGO Star Wars: A Saga Skywalker está disponível para para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series, Nintendo Switch e PC

The post Crítica | LEGO Star Wars: A Saga Skywalker é a “forma final” da franquia appeared first on Geek Here.

Related Articles

Leave a Comment

Generated by Feedzy